sábado, 10 de junho de 2017

Você precisa conhecer melhor: Luiz Pié


Um timbre de voz muito semelhante ao saudoso Emílio Santiago... parabéns Luiz Pié! Ana Marly de Oliveira Jacobino


Luiz Pié - Encontro das águas _https://www.youtube.com/watch?v=aq58cJVnnRc
A imagem pode conter: 1 pessoa

Vila Isabel, Rio, 2015. Alguns músicos aguardam o cantor Luiz Pié em um estúdio para ensaiar o show que farão com ele na quarta, dia 18, no Teatro Rival Petrobrás. Seu disco de estreia, Memória Afetiva, tem tratamento luxuoso. A produção e os arranjos são de Roberto Menescal e o cantor Milton Nascimento faz participação especial em Pai Grande. O repertório tem harmonias encrencadas que passam por Luiz Bonfá e Antonio Maria (Manhã de Carnaval), Carlos Lyra e Vinícius de Moraes (Sabe Você), Danilo Caymmi e Dudu Falcão (O Bem e o Mal). “Ele nasceu cantor, não tem como explicar”, diz Milton Nascimento. “Essa voz é tudo que eu gostaria de ter na vida”, fala também Menescal.

Luiz Pié e Milton Nascimento - Pai Grande _https://www.youtube.com/watch?v=lN-7wS8QM4A
A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé
 Luiz Pié aqui faço um pequeno tributo para você (e Milton "Bituca" Nascimento... tempos de tanta corrupção sendo revelada (tanta mediocridade) ouço Milton Nascimento e você Luiz Pié tenho orgulho de vocês trazendo tanta musicalidade na nossa MPB!

O telefone do estúdio toca e o empresário atende. “Vai entrevistar o Luiz? Só um momento.” Os 20 anos que se passaram desde que a caixa de papelão chegou ao orfanato parecem um século de revoluções na vida de Luiz Fernando Gonçalves Martins, ex-Pelezinho, atual Luiz Pié. Ele viveu dos 3 aos 17 anos no orfanato depois que sua mãe, moradora de rua, foi deposta da própria maternidade pelo Conselho Tutelar. Com o tempo, as poucas imagens que ele tinha na lembrança de uma mulher que o alimentava deixaram de existir. “Não sei mais se minhas lembranças são reias ou sonhos”, conta.(...) Pié chegava a investir R$ 20 por dia – uma fortuna para quem andava com a mesma roupa por um mês – em frente a um computador para pesquisar a obra de seus ídolos. Gente como Gal Costa, Caetano, Djavan, Nana e Caymmi, todos que haviam chegado em forma de LP na velha caixa de papelão. Depois de vasculhar o site de Caetano, que se tornaria seu primeiro ídolo, seguiu para o de Dorival e, depois, Nana, Emílio Santiago, Gilberto Gil. “Eu saía da lan house cantando em plena Cracolândia.” E o que será que o segurava contra as seduções do roubo e os alívios do crack nos dias em que as paredes do estômago colavam umas às outras? “Fui salvo pela oportunidade.”...
A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, close-up
Um timbre de voz muito semelhante ao saudoso Emílio Santiago... parabéns Luiz Pié!
Luiz Pié - Encontro das águas _https://www.youtube.com/watch?v=aq58cJVnnRc
A imagem pode conter: 1 pessoa, close-up e área interna
Marcos Valle chama atenção para uma outra questão importante: a figura de Emílio Santiago deve perseguir Pié, independentemente de sua vontade. Uma referência estupenda que lhe fará bem no momento em que sua identidade for mais bem definida. Ela começa agora, em belas amostras de delicadeza que aparecem em A Volta (de Menescal e Bôscoli) - que perfeita estaria sem os poucos ataques súbitos aos graves -, no samba de Ciúme (de Carlos Lyra) e em Pai Grande, um carinho paterno de Milton Nascimento. Nem todo Luiz Pié está aqui, mas assim é seu começo. E sua obrigação diante da música - agora, mais do que nunca - é ser feliz e devolver a ela cada nota que lhe salvou...

Saiba mais sobre este jovem interprete da nossa MPB clicando no endereço a seguir:
http://cultura.estadao.com.br/noticias/musica,luiz-pie--o-ex-interno-de-orfanato-que-empolga-a-mpb,10000001982

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Junho: Festas Juninas no sabor da pamonha...

"Pamonhas, pamonhas! Pamonhas fresquinhas, pamonhas de Piracicaba!” 
Festas Juninas o doce sabor do milho verde! Ana Marly de Oliveira Jacobino

A imagem pode conter: comida
A venda da iguaria em Piracicaba é um convite para diferentes roteiros: um passeio pela ponte pênsil sobre o rio Piracicaba; pelo Mercado Municipal e sua arquitetura com mais de 120 anos; no turismo rural ou recém-ampliado complexo de compras da cidade; ou, sem muitas desculpas, para conferir a tradição da produção com receita de família.
O roteiro da pamonha pode começar pelos quiosques turísticos concentrados em três pontos às margens do Rio Piracicaba – na entrada do Engenho Central, via ponte pênsil (na avenida Beira-Rio, Centro); no final da Rua do Porto (avenida Alidor Pecorari), próximo ao núcleo de restaurantes; e em frente ao Parque da Rua do Porto. Os pontos de vendas funcionam aos sábados e domingos entre 11h e 19h.
http://hi-mundim.com.br/o-mapa-da-pamonha-de-piracicaba/
A imagem pode conter: comida
Dirceu Bigelli é o autor do slogan criado na década de 70 que virou sucesso.
“Olha aí, olha aí freguesia. São as deliciosas pamonhas de Piracicaba . Pamonhas fresquinhas, pamonhas caseiras. É o puro creme do milho verde”. 
O dono da voz de sotaque caipira, que ainda ecoa nos altos-falantes, é Dirceu Bigelli, que morreu em 1990, aos 39 anos, vítima de um acidente automobilístico. A propaganda foi gravada em fita K7.

A imagem pode conter: comida
A fita cassete com a gravação na voz de Dirceu foi espalhada para cerca de 300 automóveis, que percorriam os estados de São Paulo, Paraná e Minas Gerais. É a voz de Dirceu que ainda predomina nas propagandas, mesmo que a pamonha não seja de Piracicaba.
A imagem pode conter: céu, árvore, nuvem, montanha, atividades ao ar livre, natureza e água
Para levar a pamonha de Piracicaba até o seu arraiá...
Ingredientes:
-2 dúzias de espigas de milho-verde com a palha
-3 xícaras (chá) de açúcar
-2 colheres (sopa) de manteiga em temperatura ambiente
-1 xícara (chá) de leite
Modo de Preparo:
Retire a palha das espigas, sem rasgá-la. Reserve. Rale o milho em ralo grosso. Aos poucos, bata no liquidificador até ficar bem triturado. Coloque numa tigela e junte o restante dos ingredientes. Misture bem. Se necessário, ponha mais leite. Dobre as laterais da palha para o centro, sobrepondo uma à outra. Dobre a parte inferior para cima, encha com cerca de 1/2 xícara (chá) da mistura de milho. Envolva com outra palha de milho. Dobre a parte superior para baixo e amarre com tiras da própria palha. Ponha os pacotinhos numa panela grande com água fervente. Cozinhe até a pamonha endurecer.

Cantinho da Poesia

Flores!? Escondem-se no inverno
Aquietam-se os desejos
Dormitam os fungos.
Ferida a terra se resseca
Frio!? Vida camuflada no cercear
Analgésico do monstro virtual
Inventado pela mídia
Horrorizada pela beleza,
Flores!? Ressecam-se no inverno
Podam letargias
Mancham suas folhas
Refletem vícios e virtudes,
Voluntariosa!
Mentirosa!
Viçosa!